Comunicação

IMPRENSA E NOTÍCIAS

Ibá Digital - Edição 133

[ASSUNTO]

Ibá Digital
Gestão dos recursos hídricos

Cuidar do meio ambiente está no centro dos negócios do setor de árvores cultivadas. O zelo com a água tem impulsionado as companhias a investirem e agirem para garantir disponibilidade do recurso para todos. Neste mês em que se comemora o dia mundial da água, destacamos o compromisso de associadas da Ibá com o tema.

Boa leitura e cuide-se.
Bracell
Mais de 1,2 mil nascentes de rios preservadas

A preservação do meio ambiente é um compromisso assumido na política de sustentabilidade da Bracell. A água é um importante recurso natural e diversas ações são realizadas para sua preservação, como a conservação de nascentes e o correto manejo do solo.

Na Bahia, as áreas de conservação ambiental abrigam mais de 1.200 nascentes de rios, o que equivale a quase uma nascente a cada 50 hectares de mata nativa. Esse dado evidencia a importância do manejo florestal para a produção de água, em qualidade e quantidade. Outra iniciativa que atesta o adequado manejo praticado pela Bracell é o monitoramento da microbacia do rio Farje, que compõe a bacia do rio Sauipe, em Entre Rios.

A Bracell realiza o plantio de eucalipto nesta região há quase 40 anos e, tanto a presença das nascentes, quanto os dados do monitoramento da microbacia do rio Farje, indicam que é possível conciliar o manejo florestal dos plantios de eucalipto com os recursos naturais de maneira positiva para todos: indústria, meio ambiente e comunidade.  

 
CMPC
O uso inteligente da água em todos os processos industriais

A CMPC vem reduzindo o consumo de água em todos os seus processos industriais. Em 2020, a unidade de Guaíba utilizou apenas 26,3m3/Adt, sendo que a referência internacional é de 30 a 50m3/Adt, de acordo com o IPPC (Integrated Prevention Pollution Control).

Entre as práticas realizadas estão a alta recuperação de condensado, alta recirculação de filtrados no branqueamento com baixa geração específica de efluentes, e fechamentos de circuitos de áreas como ETA (Estação de Tratamento de Água) e Caustificação.

A planta industrial de Guaíba também se destaca pela qualidade do efluente (no caso, resíduo líquido proveniente dos processos industriais), que passa por tecnologia de tratamento terciário. Esse processo garante, por exemplo, a demanda bioquímica de oxigênio (DBO) abaixo do nível de detecção, (< 2,0 mgO2/L). Dessa forma, a água que é captada do Lago Guaíba retorna para o meio ambiente em qualidade melhor do que quando foi retirada na grande maioria dos parâmetros.

Globalmente, o Grupo CMPC tem como meta reduzir 25% de água no uso industrial por tonelada produzida de celulose, madeira e papel até 2025.

 
Ibema
Unidade em Embu das Artes (SP) reduz o consumo de água em 25%

A Ibema comemora o resultado alcançado nos últimos três anos, quando conseguiu manter índices de redução de consumo acima do padrão, com diminuição de 25% no uso de água no processo produtivo e de geração de efluentes em sua planta na região metropolitana de São Paulo.

Em Embu das Artes (SP), o circuito fechado tem aproveitamento de até 94%, um dos menores indicadores de consumo de água encontrados na produção de papelcartão. A média de geração de efluentes na planta de Embu, hoje, é de 4 m³ por tonelada de papelcartão produzida.

Outro ganho de processo benéfico também para o meio ambiente é o reaproveitamento das fibras, com o retorno de rejeitos ao processo produtivo.

Em sua planta de Turvo, no interior do Paraná, a Ibema também adotou ações que reduziram o consumo de água e geração de efluentes em 15% nos últimos três anos. Hoje, a média de geração de efluentes é de 11,6 m³ por tonelada produzida.

Além das estações de tratamento de água e de efluentes, a empresa mantém em Turvo um Sistema de Recuperação de Água e Fibras, em que a água excedente da produção é transferida para uma torre e encaminhada para um sistema de recuperação por flotação. Com muita dedicação, a Ibema não apenas cuida de seus recursos industriais, mas também prepara o futuro das próximas gerações.

 
International Paper
Reavaliação de processos para reduzir consumo de água nos próximos 10 anos

Durante o ano de 2020, a International Paper elaborou um plano sistêmico de gestão de água com base no conceito de Water Stewardship, que considera a gestão hídrica de forma transversal em toda a cadeia de valor, incluindo os atores nas bacias hidrográficas e os diversos públicos com os quais a empresa se relaciona. É cuidar de algo que não possuímos, mas que todos os serem vivos dependem.

Essa estratégia também está alinhada à Visão 2030 de Sustentabilidade da IP que tem como um de seus alvos globais a redução do uso da água em 25% e a implementação de planos de gestão responsável de recursos hídricos baseados no atual contexto de cada unidade e região.

Como parte das atividades, foram implementados grupos internos estratégicos e táticos para discutir a temática globalmente. E essa estrutura foi replicada para as operações Brasil da IP. Esses grupos são formados por profissionais de múltiplas áreas, considerando atividades florestais, fabris e corporativas, com objetivo de dar uma perspectiva sistêmica do tema, considerando toda a bacia e suas múltiplas interações.

Também como primeiros passos, foi realizada, de forma piloto na unidade de Mogi Guaçu, uma pesquisa sobre recursos hídricos da perspectiva de legalidade, da adesão às normas internas, implementação de melhores práticas, relacionamento com stakeholders, ciclos e usos/reusos por processo, gestão de consumo nas áreas, entre outros pontos. Em 2021, a pesquisa começou a ser replicada para as demais unidades do Brasil.

A IP também é ativa nas discussões sobre as práticas essenciais para a manutenção sadia das bacias hidrográficas e, no Brasil, é parte ativa dos Comitês de Bacias Hidrográficas (CBHs) do Grande e do Mogi Guaçu, o que reforça o diálogo multisetorial, fazendo um planejamento integrado dos recursos hídricos.

Ainda neste tema, a empresa mantém uma parceria com o WWF-Brasil para o Programa Raízes do Mogi Guaçu, que tem por objetivo proteger e recuperar nascentes e áreas ripárias - interação da mata ciliar com o curso de água - da Mata Atlântica na bacia do rio Mogi Guaçu. A meta é plantar 200 hectares até 2024.

Mesmo no contexto de pandemia, o projeto teve grandes avanços, tanto em plantios, quanto de estabelecimento de parcerias e troca de conhecimento. Inclusive, foi realizado um encontro virtual focado em debater o tema, em dezembro/2020, com a participação de mais de 40 pessoas. Esse encontro é parte de um Ciclo de Diálogos do Raízes.

 
Klabin
Investimento cada vez maior na preservação da água nas operações
 
A política de sustentabilidade da Klabin engloba toda a cadeia produtiva, desde a manutenção das florestas, passando pelos processos operacionais até o produto final. É de extrema importância para a empresa a preservação da água, um dos insumos principais para a produção de papel e celulose e essencial para o desenvolvimento sustentável da área florestal. Seja pela redução da água captada ou pela reutilização dos efluentes, o foco da companhia é reduzir cada vez mais o consumo da matéria-prima. Em 16 anos, a companhia já diminui em 43% o consumo de água.
 
Como parte das iniciativas, a empresa lançou, no final do ano passado, os 'Objetivos Klabin para o Desenvolvimento Sustentável' (KODS), um conjunto de 23 metas que abrange temas diversos, entre eles a água. Dentre os compromissos assumidos está o de reduzir em 20% o consumo específico de água nas operações industriais por tonelada de produto e contribuir com ações para as localidades onde a companhia atua com o objetivo de aumentar a segurança hídrica territorial. 
 
Além disso, a Klabin integra Comitês de Bacia Hidrográfica como do Rio Tibagi, no Paraná, o Comitê da Bacia Hidrográfica do Rio Canoas, em Santa Catarina, entre outros, participando ativamente das discussões sobre o uso de água, dos planos de recursos hídricos e do estabelecimento de mecanismos para cobrança do uso da água. A empresa também possui um programa para as Microbacias e Hidrossolidariedade no Estado paranaense, que é um planejamento florestal que avalia os impactos das operações no meio ambiente e nas comunidades, trazendo parâmetros para indicar medidas mitigatórias, integrando a produção aos cuidados com a biodiversidade e a redução de impactos sociais. O projeto consiste em identificar as melhores práticas de manejos florestais para eliminar ou diminuir os impactos em bacias hidrográficas.
 
Em parceria com a Fundação Getúlio Vargas, a companhia participou, em 2019, da iniciativa El Água nos Une da Rede Latino-Americana, que atua na gestão empresarial de recursos hídricos e desenvolveu a pegada hídrica de celulose da Unidade Puma seguindo a ISO 14.046: 2014.

 
Suzano
A vida por meio de recuperação de Nascentes

A Suzano tem o compromisso com a preservação do meio ambiente para garantir um futuro melhor e mais sustentável nas regiões onde atua. Exemplo disso é o Projeto Nascentes do Mucuri, que já soma mais de 400 nascentes em recuperação e contabiliza mais de 30 mil mudas plantadas. A iniciativa faz parte das metas anunciadas pela companhia no último ano, que visam aumentar a disponibilidade hídrica em 100% das bacias hidrográficas críticas e reduzir em 15% o consumo de água em suas operações industriais até 2030.

Por meio de investimentos em projetos sociais, a companhia encontra um modo de aliar o desenvolvimento de comunidades locais com o cuidado e a preservação de recursos naturais essenciais, como a água. Ao todo, já são mais de 340 famílias parceiras e mais de 1500 propriedades diagnosticadas. A partir do projeto Nascentes do Mucuri, em parceria com multilideranças do setor privado, ONGs, órgãos de governo e pessoas físicas, a Suzano foca na recuperação e na preservação do Rio Mucuri, que beneficia aproximadamente 540 mil habitantes ao longo do seu percurso.

Em 2020, mesmo em meio à pandemia do coronavírus, o projeto deu assistência técnica a aproximadamente 130 famílias, trabalhando para recuperação e preservação dos recursos naturais, buscando uma produção mais sustentável, além da conservação de nascentes e recursos hídricos.

Ainda no último ano, o grande marco do Nascentes do Mucuri foi a oficina para implantação de uma Bacia de Evapotranspiração no Assentamento São Pedro, no município de Teófilo Otoni (MG), que contou com a participação de 13 famílias. A iniciativa busca realizar o tratamento do esgoto da tenda de farinha e do Posto de Saúde da comunidade, que atende as 28 famílias assentadas, além das famílias das comunidades vizinhas.

 
Veracel Celulose
Ações e atitudes para o uso sustentável da água 

A Veracel Celulose iniciou o monitoramento ambiental do Rio Jequitinhonha e do manguezal na foz do rio com antecedência de 2 anos antes da partida da fábrica e segue neste monitoramento de forma contínua. Essa avaliação de longo prazo consiste em uma importante ferramenta de gestão ambiental, que ajuda a companhia a avaliar periodicamente possíveis interferências do lançamento do efluente tratado da fábrica na qualidade da água e na biota do rio. Os resultados desse monitoramento indicam que as medidas de controle adotadas e os tratamentos existentes na fábrica têm sido suficientes para garantir a manutenção da qualidade do Rio Jequitinhonha.

Desde 2015, a Veracel estabeleceu metas em relação à água, que até então era de 25 m3/tsa, e iniciou a implementação da metodologia Lean Six Sigma (conjunto de práticas para aprimorar sistematicamente os processos), com novas lógicas de automação para controle dos níveis dos tanques e eliminação dos transbordos, correções em válvulas e comportas, instalação de novos alarmes nos painéis para os operadores e a utilização de uma ferramenta de gestão de água online para indicar a origem das perdas, entre outras ações que ajudaram a melhorar o desempenho da empresa em relação ao uso da água.

Essas ações foram suficientes para redução da vazão média anual de uso de água para fabricação de celulose, em mais de 11%, em 4 anos, passando de 25 m3/toneladas de celulose para 22,2 m3/toneladas de celulose.

A companhia destaca ainda que segue buscando continuamente oportunidades de melhorias em seus processos para aumentar a reciclagem interna de água na fabricação da celulose.  

 
WestRock
A responsabilidade com os recursos hídricos permeia o negócio

Na WestRock, cuidar da água com responsabilidade é um compromisso em todos os processos e negócios, da semente à embalagem. Tudo começa nos 54 mil hectares de florestas, localizados no sul do Paraná e norte de Santa Catarina. Há mais de 10 anos, avalia-se o quanto a água é disponibilizada ao planeta por meio das florestas plantadas e nativas, seja no solo, por meio da chuva, ou nos rios e riachos próximos a essas áreas. Com esses estudos, comprovou-se que o consumo, disponibilidade e qualidade de água produzida em uma floresta plantada WestRock é muito semelhante a de uma floresta nativa, mesmo durante operações florestais. Além disso, preserva-se mais de 2.700 nascentes de água nas florestas. 
 
Na fábrica de papel de Três Barras (SC), a água é utilizada com responsabilidade durante todo o processo de produção. A estação de tratamento possui 99% de eficiência para tratar todo o efluente gerado pela fábrica, ou seja, a água usada na produção do HyPerform®. Mesmo assim, a WestRock já conseguiu ir além, por meio de projetos de melhoria contínua, reduzir 50% do uso de água na produção entre 2012 e 2019.

Na fábrica de embalagens de Pacajus (CE), a instalação de mecanismos nas torneiras da unidade e retirada das bandejas do refeitório - eliminando, portanto, a necessidade de lavagem, já resultaram em redução na quantidade de água utilizada todos os anos.

Outro exemplo vem da fábrica de embalagens de Blumenau (SC): reduziu-se a quantidade de água superficial utilizada na unidade, com um mecanismo de captação de água da chuva. Essa água é usada para alimentar o sistema de geração de vapor utilizado na operação.


São muitos os exemplos que evidenciam o compromisso com a disponibilidade de recursos hídricos no nosso planeta, mas a empresa ainda mantém a meta de reduzir o consumo de água por tonelada de produto produzido no Brasil até 2030.

 
 Uma das nascentes preservadas em Diva Costa, Três Barras – SC 
 
Ibá lança vídeo: O futuro está nas árvores plantadas

A Ibá, em uma iniciativa para divulgar o setor como meio para o futuro sustentável, lança o vídeo 'O futuro está nas árvores plantadas' nas redes sociais, ressaltando que este é o caminho pavimentado por escolhas decisivas que ditarão o mundo verde.

Cultivamos soluções, investimos em tecnologia, aplicamos ciência e, assim, entregamos alternativas viáveis para o equilíbrio entre inovação e conservação. Ibá: cultivando soluções para um futuro sustentável.

 
Vídeo Inovação
 
Ibá, Suzano e SOS Mata Atlântica fazem evento sobre PMMA

No próxima sexta-feira, 12, às 10h30, Walter Schalka (Suzano), Mario Mantovani (SOS Mata Atlântica) e Paulo Hartung (Ibá) participam do lançamento online do 'Planos da Mata', para acelerar a confecção dos Planos Municipais da Mata Atlântica (PMMAs) em municípios dos estados nos quais a Suzano tem operações fabris e florestais. O evento contará também com palestra de Natalie Unterstell, Diretora do Instituto Talanoa e colunista da Época; e de Sandra Steinmetz, Consultora da SOS Mata Atlântica.

As inscrições podem ser realizadas no site.

 
 
Ibá e Malinovski realizam debate sobre gestão hídrica
 
A Ibá realiza um debate para marcar o lançamento do primeiro relatório do setor sobre gestão hídrica - Relatório de Desempenho Sobre Gestão da Água no Setor de Árvores Cultivadas. O evento será no dia 19/3 às 10h e contará com um debates de CEO, com Paulo Hartung, Antonio Joaquim (Duratex) e Cristiano Teixeira (Klabin), além de uma conversa posterior com Rachel Biderman (WRI), Luna Viana (Ministério do Desenvolvimento Regional) e Adriana Leles (Conselho Empresarial Brasileiro para o Desenvolvimento Sustentável- Cebds). As inscrições, perguntas e transmissão estão a cargo da Malinovski.
 
Bracell lança websérie em animação que aborda cultivo de eucalipto e produção de celulose

Apresentar o universo do cultivo de eucalipto e da produção de celulose, por meio de uma linguagem didática. Este é o objetivo da websérie lançada pela Bracell na quarta-feira, 3. A primeira das seis animações, que trata do tema 'Eucalipto e seus usos múltiplos', já pode ser conferida nas redes sociais da Bracell (Fabebook, Instagram, LinkedIn e canal no YouTube). Os próximos episódios serão publicados quinzenalmente.

Frederico Franz, gerente de Mídia Digital e Social da empresa, afirma que a websérie apresenta um universo mais amplo sobre a celulose e as florestas plantadas de eucalipto, de uma forma tecnicamente precisa e, ao mesmo tempo, amigável. Fábio Gois, gerente de Comunicação da Bracell BA, ressalta também a relevância para o setor: 'É importante termos um material informativo com uma linguagem atraente e acessível para o público em geral e disponível em canais de fácil acesso. E as redes sociais da Bracell, pelo alcance que têm, dão uma contribuição valiosa para todo o setor de celulose e papel, cuja base das operações é o cultivo de eucalipto'.

O primeiro capítulo está no link e o próximo, sairá no dia 17/03 sobres as características importantes do manejo florestal realizado pela Bracell, que possibilita que o solo das florestas plantadas de eucalipto continue fértil e preservado.

 
 
International Paper ressalta a presença feminina na indústria papeleira

Após a divulgação de uma pesquisa no Portal ODS (Objetivos de Desenvolvimento Sustentável) sobre a representação da mulher na indústria, a International Papel destaca que a presença feminina cresceu 14,3% em 20 anos, de acordo com dados do Ministério do Trabalho e Emprego. Neste mesmo período, um dos segmentos que teve maior crescimento foi o de Papel e Gráfico, com 24,7%.

Na empresa, a inserção da mulher em todos os níveis da empresa é uma meta buscada pela área de Diversidade & Inclusão e mais especificamente pelos Núcleos de Mulheres na Operação e Diversidade na Liderança. Até 2030, o objetivo é aumentar o número de profissionais mulheres em 50% no administrativo e 30% na companhia como um todo.
A IP promove rodas de conversa para conhecer melhor o perfil das mulheres que atuam na empresa, esclarecer as dúvidas delas e dos colegas de trabalho e criar um ambiente mais inclusivo para todos. 

Para chegar neste estágio, a IP desenvolveu um mapa de acessibilidade para entender o que era preciso fazer para que os cargos operacionais dentro da empresa fossem acessíveis para todos, independentemente do gênero.
A IP espera colher os frutos deste trabalho nos próximos anos e incentivar cada vez mais mulheres a ingressar na empresa, nas áreas e cargos que julgarem relevantes para sua trajetória profissional.

 
 
Movimento Todos A Uma Só Voz

Foi dado início ao Movimento 'Todos A Uma Só Voz', o qual a Ibá apoia. A iniciativa busca informar a população quanto às atividades do Agro brasileiro, com materiais sobre sustentabilidade socioambiental; oportunidades para produtores rurais, estudantes e empreendedores; mitos e verdades sobre o Agro e temas voltados às famílias, como a variação do cardápio no dia a dia e a economia aproveitando as oportunidades das safras e das estações do ano.

O objetivo da parceria é divulgar ações voltadas para a pluralidade e a empatia, da sociedade brasileira, pela atividade do agronegócio, ressaltando a importância para a economia e o desenvolvimento do país.

 
 
Acompanhe-nos nas redes sociais!